Fila de ultrassons deve zerar até o final do ano

Univida, responsável pelo atendimento médico na cidade, realizará exames sem custo através de ação social


Os exames de ultrassom pedidos pelos médicos da rede pública de Matão e ainda não realizados deverão ser todos feitos até o final do ano. Os mais de 2.700 exames pedidos até julho começarão a ser feitos a partir do dia 16 desse mês, por ordem de urgências e prioridades, e até dezembro a fila de espera deve estar normalizada. O anúncio foi feito em uma coletiva de imprensa realizada na sexta-feira (06) a tarde, com o Prefeito Municipal, Edinardo Esquetini, o secretário de Saúde de Matão, Dr. João Guimarães, e o representante da Univida, Adriano Lotti, além do presidente da Câmara Municipal, Luis Mansini.

A Univida é a empresa responsável, através de licitação, de gerir e contratar os médicos que atendem na rede municipal de saúde. E será a Univida a responsável pela realização desses exames. “Temos uma alta demanda para a realização de ultrassons e o SUS não consegue absorver todos os pedidos. Então a Univida se comprometeu, através de uma ação social que realiza, fazer, até o final do ano, todos os exames de ultrassom que estão em espera. Serão 2.772 ultrassons sem custo para o município”, explicou o prefeito.

Segundo o Secretário de Saúde, todo mês acumulam exames sem fazer. Agora, quem tiver dúvidas deve procurar a Secretaria de Saúde. “Vale lembrar também que é muito importante as pessoas estarem com os dados atualizados na Secretaria. Pode acontecer de entrarmos em contato com a pessoa que já tem o pedido de exame feito e não a encontrarmos”, ressaltou.

A Univida começou a operar em Matão no início de agosto e, em um mês, atendeu 1.380 consultas. Médicos endocrinologistas, dermatologistas e psiquiatras ainda estão em falta. “Estamos procurando em toda a região e nos colocamos a disposição desses médicos. Logo logo as especialidades estarão completas”, explicou Adriano.

Sobre a fila de consultas nas Unidades Básicas, o Secretário de Saúde disse que 80% da procura envolve as especialidades básicas e os problemas são resolvidos diretamente nas UBS, já os outros 20% são encaminhados a especialistas no Posto Central, que está se tornando um Ambulatório de Especialidades. Assim que as todas as especialidades estiverem contempladas, o tempo de espera deverá ser agilizado.


Fonte: Ingrid Alves


  • Compartilhe com os amigos:


Deixe um comentário



Comentários