Cinco médicos da rede pública deixaram a cidade

Segundo o secretário João Guimarães, não há previsão para a reposição destes profissionais


A saúde pública de Matão passa por reajustes. Cinco profissionais que vieram à cidade pelo programa ‘Mais Médicos’ já foram embora. De acordo com o secretário municipal de Saúde, João Guimarães Junqueira Neto, os médicos saíram porque foram aprovados em outros concursos ou em residências.

O ‘Mais Médicos’ é um programa do Governo Federal e, como não houve um novo chamamento, o município precisou remanejar os profissionais que ficaram na cidade. “Não temos autonomia para contratar mais médicos, e abrir um concurso público gera uma grande despesa que não podemos arcar nesse momento”, explica o secretário.

O PSF do Bom Jesus abrigava três médicos e agora conta com apenas um; no Portal Terra da Saudade e no Jardim Popular haviam dois médicos, mas agora somente um profissional está atendendo; na unidade do Residencial Cadioli, de três médicos agora são dois; uma médica do Bom Jesus que estava de licença-maternidade voltou ao trabalho e foi realocada para a Vila Pereira, de onde saiu um médico.

Uma médica que havia sido contratada por concurso público também está à disposição, ficando um dia por semana em cada unidade para os atendimentos deficitários. “Essa é a realidade de muitos municípios pelo Brasil”, aponta o secretário. Questionado sobre a reposição desses médicos, Guimarães diz que “não há previsão e talvez isso nem aconteça, pois o Governo Federal está cortando verbas em todas as áreas”.

 

ESPECIALISTAS

Matão também enfrenta a falta de especialistas nos postos de saúde. João Guimarães informa que já foram realizados três concursos públicos para a contratação de profissionais, mas sem sucesso. Nos dois primeiros, não houve inscritos; e o aprovado no último concurso não demonstrou interesse em ocupar a vaga.

“Para resolver o problema da falta de especialistas no município, realizamos um processo licitatório e a empresa vencedora irá gerenciar a contratação dos médicos em novo formato. O contrato não será mais feito por carga horária, e sim por número de consultas por dia. Acreditamos que assim haverá mais interesse por parte dos profissionais”, explica o secretário. No momento, a Prefeitura está verificando a documentação da empresa vencedora. “Não queremos deixar dúvidas, nem para a população, nem para os médicos”, ressalta.


Fonte: Ingrid Alves


  • Compartilhe com os amigos:


Deixe um comentário



Comentários