Prefeito é absolvido em processo de cassação

Seis vereadores votaram pelo impeachment, mas eram necessários oito


O pedido de cassação do prefeito Edinardo Esquetini foi reprovado pela Câmara Municipal na sessão extraordinária realizada no último dia 13, que durou mais de sete horas. Os vereadores declararam seis votos a cinco pela cassação, mas para se efetivar o impeachment eram necessários oito dos 11 votos (2/3 dos vereadores).

Votaram a favor do prefeito (contra a cassação) os vereadores Agnaldo Navarro, Cleuza Salatta, Luis Mansini, Ednaldo Leão da Rocha (Nau) e Sidinei Calabrês (China). Os votos contrários a Esquetini (a favor da cassação) foram dos vereadores Ana Mondini, Jonas Garcia Filho, João Silvério do Carmo Filho, Luiz Cerqueira, Sônia Moura e Valter Luiz Trevizaneli.

Como o plenário da Câmara possui 79 assentos para o público, o acesso ao local foi limitado. Aqueles que não conseguiram entrar puderam acompanhar a sessão através de um telão disponibilizado do lado de fora. A sessão extraordinária teve início às 19 horas e terminou às 2h20.

A Comissão Processante (CP) da Câmara Municipal – formada pelos vereadores Sônia Moura (presidente), Luiz Cerqueira (relator) e Agnaldo Navarro (membro) – analisou os documentos contendo as denúncias feitas pelo publicitário Alexandre De Cinque sobre supostas irregularidades cometidas pelo prefeito Edinardo Esquetini.

Decorrido o prazo de defesa e todos os trâmites previstos, a Comissão apresentou parecer sobre a continuidade do processo, que foi apreciado e votado pelos demais vereadores. Com a insuficiência da quantidade de votos para a determinação da cassação, o prefeito foi absolvido e o processo foi arquivado.

 


Fonte: AICM


  • Compartilhe com os amigos:


Deixe um comentário



Comentários




Padre

Detido por embriaguez

Bebê

Engasgamento

Projeto

Barulho de fogos

Morto

Ex-comerciante