Recuperação da Estação Ferroviária aguarda próximo governo paulista

Projeto para receber recursos do Fundo Estadual de Defesa dos Interesses Difusos (FID) ficou em 131º lugar entre 149 classificados


Em dezembro de 2017, com o aval do prefeito Edinardo Esquetini, o diretor municipal de Cultura, Julio Ribeiro, encaminhou Carta Consulta ao Edital do Fundo Estadual de Defesa dos Interesses Difusos (FID), apresentando projeto para a revitalização da Estação Ferroviária e do Armazém ao seu entorno. No documento também constava a contrapartida da Prefeitura de Matão, constituindo-se na instalação de um Museu de Inclusão Digital (MID).

O projeto se baseia em orçamento global realizado pela Projemat Engenharia, empresa contratada desde o processo para que ocorresse a cessão da área à Prefeitura. Destaca-se que a Estação Ferroviária, o Armazém e o entorno são tombados administrativamente pela Lei Municipal nº 3.314 (8 de agosto de 2003) e cedidos à Prefeitura mediante Termo de Cessão de Uso Gratuito (28 de abril de 2015).

No dia 28 de fevereiro, este projeto foi pré-selecionado pelo Conselho Gestor do FID, concentrando obras de instalações para reforma e revitalização da Estação Ferroviária (R$ 352.257,64) e do Armazém (R$ 523.346,03), somando R$ 875.603,67, bem como a contrapartida da Prefeitura referente ao MID (R$ 48.880,68), sendo que os três itens totalizam R$ 924.484,35.

Para obter esta pré-seleção entre quase 800 projetos inscritos, houve concorrência com entidades do Terceiro Setor e administrações públicas diretas e indiretas de municípios paulistas e do Governo do Estado, sendo a maioria destes projetos de cunho ambiental ou de preservação de memória histórica. Havia também pedido da Prefeitura de Matão referente à construção de uma praça pública.

Destinado ao FID, o Projeto Completo Detalhado e com Memorial Descritivo da Reforma da Estação e do Galpão Ferroviários de Matão foi protocolado na Secretaria de Estado da Justiça e Defesa da Cidadania no dia 2 de abril. No último dia 31 de outubro, após o período eleitoral, foi publicada no Diário Oficial do Estado a ordem de classificação dos projetos pré-selecionados.

“Pelo Edital FID de novembro de 2017 foram inscritos 797 projetos; destes, 585 foram pré-selecionados, 238 foram aprovados e somente 149 se classificaram. Nessa ordem de classificação, o Projeto de reforma da Estação e do Galpão Ferroviário de Matão ficou em 131º lugar, contemplando todos os quesitos técnicos, sendo apto a receber os recursos”, relata Julio.

“Contudo, agora, caberá à próxima gestão do Governo do Estado de São Paulo decidir quantos e quais projetos classificados pelo FID serão de fato contemplados com os recursos financeiros solicitados pela ordem de classificação. Continuamos na expectativa, aguardando estas tão desejadas reformas – da Estação Ferroviária e do Galpão – serem possíveis com estes recursos”, cita Julio.

A Estação Ferroviária, outros barracões, casas e terrenos estão numa área total de 30 mil m², sendo que Matão recebeu inicialmente 6.554,53 m² deste total, correspondendo ao pátio e a duas benfeitorias: a própria estação (190 m²) e o galpão mais próximo dela, com 315 m². Este terreno corresponde a uma área retangular entre a ferrovia e a Rua Castro Alves.

Está entre as avenidas 28 de Agosto e Benício Pinto de Mendonça, na divisa entre o Centro e o Bairro Alto, tendo como referência o final do asfalto da Castro Alves, que deverá ter sua comunicação com a rotatória entre a Marginal São Lourenço e a Rua Major Joaquim Gabriel de Carvalho. A inauguração oficial da Estação Ferroviária de Matão, como continuação da Estrada de Ferro Araraquara (EFA), aconteceu no dia 25 de março de 1899. A data inaugural do galpão próximo é 12 de outubro de 1922.


Fonte: Rogério Bordignon


  • Compartilhe com os amigos:


Deixe um comentário



Comentários